Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Merlo

Merlo

Seg | 21.06.21

Skater Girl

Marco

IMG_20210619_202839.jpg

Vi este filme este final de semana e gostei muito, porque tem uma história.

Retrata uma adolescente a Prerna (segundo ela no filme significa inspiração)  que vive na Índia rural e descobre uma paixão pelo skate que vai mudar a sua vida.

Prerna não consegue ir a escola por causa do seu uniforme ser pequeno, o irmão(mais novo) ainda a tenta ajudar e arranja-lhe (rouba) mas é branco e ela tentou tingir de azul mas não conseguiu e quando vai a escola é expulsa da sala por não ter o uniforme azul e não ter livros. O professor devia ter percebido logo que ela não tinha dinheiro para o uniforme e o livro.

Como ela já está na idade de casar os seus pais nem tentam resolver a sua situação para os estudos.

Entretanto ela encontra Jessica, é uma inglesa descendente de indiano, que viajou para a aldeia para conhecer a terra do pai.

Elas começa-se a conhecer e a criar uma amizade, e Jessica compra um uniforme a Prerna para ir a escola, mesmo ela sofrendo alguns ataques dos seus colegas ela vai a escola.  

Jessica recebe uma vista de um amigo o Erick, e ele chega de skate, os miúdos da aldeia ficam em êxtase porque nunca tinha visto nada igual.

Erick ensina Prerna e empresta-lhe o seu skate para ela aprender, por infelicidade ela o deixa cair no rio e estraga-se e Jessica compra vários e dá-os aos miúdos e Prerna e um novo ao Erick.

A prática de skate não foi bem vista pelos habitantes que tentaram impedir de andar.  Então Jessica tenta de tudo para contruir um park de skate e consegue uns terrenos e constrói.

Com ajuda das eleições da aldeia consegue organizar um torneio de skate, ao qual Prerna não pode participar porque arrumaram um casamento que ela não quer. O torneio é no dia do seu casamento e ela consegue fugir com ajuda do seu irmão e participa, no final ganhou um prémio.

O filme mostra cultura da índia o sistema de castas na índia , a desvalorização da mulher, os casamentos arranjados não concordo com isto, para mim somos todos iguais.

4 comentários

Comentar post